6.28.2014

{dias de sol}


| dar as boas-vindas [atrasadas] ao verão, onde eu mais gosto de estar, a fazer o que eu mais gosto de fazer*, com quem eu mais gosto de estar...

*andar de bicicleta, fotografar tudo e nadar, nadar muito...

6.27.2014

[ é hora...]


perguntai ao vento, à onda, à estrela, ao pássaro, ao relógio, 
a tudo o que foge, a tudo o que geme, a tudo o que rola, 
a tudo o que canta, a tudo o que fala, perguntai-lhes que horas são; 
e o vento, e a vaga, e a estrela, e o pássaro, e o relógio, 
hão de vos responder: é hora de se embriagar!
para não serdes os martirizados escravos do Tempo, 
embriagai-vos; embriagai-vos sem tréguas!
de vinho, de poesia ou de virtude, à vossa escolha...

baudelaire

6.23.2014

{tem dias em que a chuva cai...}



nem tudo é dias de sol,
e a chuva, quando falta muito, pede-se
por isso tomo a infelicidade com a felicidade
naturalmente, como quem não estranha
que haja montanhas e planícies
e quando haja rochedos e erva...
o que é preciso é ser-se natural e calmo
na felicidade ou na infelicidade,
sentir como quem olha,
pensar como quem anda...

alberto caeiro 

6.18.2014

{porque [também] há dias assim}



| e, depois de uma noite muito escura - decididamente, a pior dos últimos seis meses - vestir um sorriso e passar o dia, na melhor companhia ♡

{festa da Uni do meu papi ♡ a fotografia saiu torta para caramba mas foi o meu primeiro selfie ;) } 

6.16.2014

{das hipóteses}



não há hipótese 
há luzes que só luzem uma vez 
e brilhos que só se agarram assim 

não esperes pela volta do farol 
dispara certo 
dispara sempre 

talvez a luz não volte 
ou se voltar 
não diga sim

by nónio

6.15.2014

a [mar]


“quando eu morrer voltarei para buscar 
os instantes que não vivi junto do mar”

sophia de mello breyner 

6.14.2014

{das esperas que desesperam...}


dizer que as urgências do hsm estavam impróprias para consumo, é faltar com a verdade. na sexta, dia 13, não foi um bom dia para se ficar doente... felizmente, após mais de oito horas de espera, ficámos a saber que a pancada na cabeça, não fora grave.

caso tivesse sido... bem, creio que não estaria aqui a lamentar-me pelas quatro horas que estivemos a aguardar para fazer uma tac ou pelas (+) três horas e meia, que aguardamos pelo resultado da mesma. porque se fosse para morrer, a minha mãe teria morrido. foram oito horas e meia de espera. oito horas e meia de aflição...

como a minha mãe, dezenas de outros pacientes aguardavam consulta. "falta de enfermeiros", desabafou o médico. "a equipa de enfermagem foi-se embora porque não recebe pelas horas extra".

quando fomos embora, olhámos uma última vez para a sala de espera: "as melhoras", dissemos... e fugimos dali. já não aguentávamos mais: a espera, o incerteza, o medo, o desespero, a confusão, o barulho, os gemidos dos pacientes mais graves, a impaciência das crianças [que não compreendiam porque estavam ali há tantas horas, sem que ninguém as ajudasse a acalmar a dor que sentiam]. sim, fugimos. é o termo certo. corremos dali, com as forças que nos restavam.

felizmente, tudo correu bem. a minha mãe está bem.... mas não consigo parar de pensar em todos os que lá ficaram... terão sido atendidos a tempo?

6.12.2014

| este post é sobre o amor...



"todo o sentimento precisa de um passado para existir. o amor não: ele cria como por um encanto, um passado que nos cerca. ele dá-nos a consciência de termos vivido anos a fio, com alguém que há pouco era quase um estranho. ele supre a falta de lembranças por uma espécie de mágica..." 

benjamim constant

6.11.2014

| já lá vão uns anitos... lembro-me de ter ficado deslumbrada a olhar...


um dia regresso. breve, muito em breve será o dia.


"trago dentro do meu coração,
como num cofre que se não pode fechar de cheio,
todos os lugares onde estive,
todos os portos a que cheguei,
todas as paisagens que vi através de janelas ou vigias,
ou de tombadilhos, sonhando,
e tudo isso, que é tanto, é pouco para o que eu quero."

álvaro de campos

6.10.2014

| mote para o dia de hoje, que a noite não foi fácil...


"desistir... eu já pensei seriamente nisso, mas nunca me levei realmente a sério; é que tem mais chão nos meus olhos do que o cansaço nas minhas pernas, mais esperança nos meus passos, do que tristeza nos meus ombros, mais estrada no meu coração do que medo na minha cabeça"
Cora Coralina

6.09.2014

{hoje é dia de recomeçar}



| o meu reino é meu, como um vestido que me serve. e sobre a areia, sobre a cal e sobre a pedra, escrevo:

nesta manhã eu recomeço o mundo.

sophia de mello breyner

6.08.2014

| um domingo feliz cheio de ☼


há duas formas para viver a sua vida: 
uma é acreditar que não existe milagre. 
a outra é acreditar que todas as coisas são um milagre.

Fernando Pessoa

| quem primeiro é que sorri?



sorriso audível das folhas,
não és mais que a brisa ali.
se eu te olho e tu me olhas,
quem primeiro é que sorri?
o primeiro a sorrir ri.

ri, e olha de repente,
para fins de não olhar,
para onde nas folhas sente
o som do vento passar...

fernando pessoa 

6.07.2014

| pessoas 5 ★


"as melhores pessoas que conheço não são as tristes, são aquelas que digeriram a tristeza da vida e converteram isso em fermento de carácter. e essas pessoas, também não são aquelas que passam a vida a acusar a sua condição de orfandade para se fazerem grandes empoleirados na tristeza. são aqueles que choraram na altura certa, que deram o desconto ao sadismo da vida, que condescenderam desde novos com as incongruências do destino, que não desistiram dos seres humanos só porque nem tudo era perfeito, nem ficaram reféns na procura passiva do sentido de justiça. essas são as pessoas TOP! são os amantes da vida. a malta que aprendeu a sacudir a poeira dos maus momentos com património de felicidade, são os que acreditam genuinamente nas pessoas e por isso ainda se surpreendem, são os que perceberam a dimensão do tempo e por isso conseguem viajar a partir de qualquer lugar. essas pessoas que conheceram a evidência mais crua da vida são as que mais conseguem criar, são as que olham para uma planície árida e imaginam uma floresta imensa. essas pessoas sentem-se responsáveis por animar o mundo, só porque se sentem agradecidas por serem animadas. essas pessoas são guerreiras porque acreditam que o sentido maior da paz nasce na tranquilidade serena de aceitar que algumas batalhas da vida são feitas para perder. a dimensão do tempo é a dimensão da vida. o passado tem apenas o efeito edificante de nos lançar para o futuro e o presente é o lugar em que acontece tudo. ninguém cuida muito das pessoas felizes porque elas parecem estar sempre bem. e as pessoas felizes sabem que têm que estar bem porque aprenderam a cuidar de si mesmas."

6.06.2014

[365 dias de gratidão ♥]



fazer este exercício [diário] de gratidão, ajuda-me a perceber que, apesar dos reveses da vida, a quantidade de razões, pelas quais estou grata, é tão imensa, que toda a angústia, ansiedade, tristeza ou até mesmo desespero, gerados por esses reveses, se desvanecem, dando assim lugar à fé e à esperança. porque a vida é feita disso mesmo: fé e esperança. e gratidão. sempre.

6.05.2014

| mote para o dia de hoje...


"não podemos querer que as coisas mudem à nossa volta, se continuamos a fazer o mesmo todos os dias. quer queiras, quer não, a crise é das melhores bênçãos que podem acontecer na vida das pessoas e no evoluir dos países, porque a crise traz progressos.
a criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura. é em tempos de crise que surgem as grandes invenções, as descobertas e as grandes estratégias.
quem supera a crise, supera-se a si mesmo sem ser vencido.
aquele que atribui à crise a causa dos seus fracassos, dá cabo do seu próprio talento e respeita mais os problemas do que as soluções.
a verdadeira crise é a crise da incompetência e da busca do facilitismo, onde o problema das pessoas e dos países se torna na preguiça de pensar para encontrar saídas e soluções para vencer desafios.
sem crise não há desafios, sem desafios a vida é uma rotina, uma lenta agonia. sem crise não há mérito. é em tempos de crise que nasce e se desenvolve o melhor de cada um de nós.
passar a vida a falar da crise é promovê-la, por outro lado, omitir a crise é criar habituação ao conformismo. em vez disso, trabalhemos duro. acabemos de uma vez por todas com a única crise ameaçadora que existe no mundo, que é a tragédia de não querermos lutar para a superar."
Albert Einstein

6.04.2014

{adamastor}


hoje, regressei à terapêutica de 2006. sinceramente, pensei que me tinha livrado dela... mas a espondilite está a conseguir ser mais teimosa que eu... contudo, se eu já venci a teimosinha uma vez, nada me impede de a vencer novamente. a coisa boa de perder batalhas é a certeza de que, aquando da próxima vitória [a minha!], a festa irá ser rija! e estão todos convidados!

6.03.2014

{ ❤ }



ler muito, escrever mais ainda... teatro, bailado, fotografia. o silêncio. ser embalada pelas ondas do mar. o cheiro da terra molhada. o vento na cara. chuva a bater na janela. gotas de orvalho nas pétalas das flores. as cores do outono. o sossego do campo. amor e amar... 

sim... é das coisas simples, o que eu mais gosto...

6.01.2014

[intervalo]


| hoje é dia de brincar. de regressar à minha primeira infância 

[e os restantes dias, também ❋]